Translate

Pessoas que não sabem trabalhar.

domingo, janeiro 07, 2018


     Não basta ter uma profissão definida, estudar, bater cabeça e planejar. É preciso saber fazer o seu trabalho de forma satisfatória, de tal modo que agregue valor aquilo que você levou anos para estudar, aprender e construir. Vou dar um exemplo daquilo que estou falando aqui.

     Costureiras de bairro, existem muitas, mas são bem poucas aquelas que de verdade sabem fazer o serviço de forma profissional. Estava eu na rua, procurando uma costureira e uma vizinha me indicou a casa de uma senhora muito conhecida na região,
que era muito boa naquilo que fazia e costurava á muitos anos. Fui até lá, conversei com ela, tirei as medidas das roupas que precisava fazer os ajustes, e enfim. Marquei com ela de ir buscar as roupas até o final daquele mês, no máximo.

     Demorei 15 dias além do prazo que havia dado, pois meu pagamento atrasou.. Quando cheguei à casa da costureira  para pegar minhas roupas, ela me recebeu com a seguinte frase: "Já ia colocar suas roupas para vender, pois achei que não vinha buscar".
Na hora achei que ela estava brincando, pois ela nem havia me dito nada sobre isso, dei um meio sorriso, peguei as roupas,  paguei pelo serviço e saí bem contente.

     Quase um ano depois, levei outra sacola de roupas para ela arrumar, era dezembro e eu queria as roupas para usar no inverno do ano seguinte, eram minhas únicas roupas quentes. Sou bem mal de roupas de inverno. Então ela me disse que estava ás voltas com outras costuras
e não poderia fazer para Janeiro ou Fevereiro, ia demorar bastante. Mas que lá para Maio ou Junho ela com certeza pegaria  para fazer e me ligaria quando estivesse pronto. Anotou meu nome e telefone na agenda, o que tinha na sacola e eu saí, deixando minhas roupas lá.

     Em Dezembro do ano seguinte, depois de passar o ano pagando contas enormes de veterinário, liguei pra ela, pois ela não me ligava nunca. E perguntei pelas roupas, pois queria passar lá para pegar as mesmas e pagar pelo serviço. Foi então que ela me disse que no inverno ela pegou a sacola, olhou as roupas, não fez nenhum dos acertos nelas, que eu havia pedido, pois não achou necessário
e ainda encaminhou as roupas para doação aos pobres. (Sim, fiquei chocada).

     Não.. eu não estou sem roupas quentes para usar no inverno, por que graças a uma vizinha e uma prima bem generosas eu consegui umas roupas de inverno usadas para ter o que vestir nessa estação, já que a suposta costureira não tem por hábito ligar para seus clientes para perguntar se eles vão querer as roupas que mandaram arrumar.

     Eu poderia dizer à ela: "Não.. pra que eu vou querer essas roupas? Eu levei elas á sua casa para você doar aos pobres. Eu gosto de andar quase pelada no inverno. E passar frio é uma das minhas opções favoritas." (ironia)

     Ela poderia fazer isso que ela fez? Sim, poderia. Pois as roupas estavam na casa dela a um ano, praticamente.  Mas não sem ligar para eu, antes. Afinal, se apropriar daquilo que não é nosso e dar fim ás coisas alheias é tido como roubo.
Quem não sabe trabalhar, é isso aí.

              Como seria se ela soubesse fazer o serviço dela de forma profissional?

1- Ter uma agenda somente para anotar em cada folha os nomes e dados dos clientes:
nome, telefone, endereço, email, data da chegada do serviço e da entrega..
(quanto mais completo o cadastro, melhor),
Riscando posteriormente aqueles serviços que já foram feitos, pagos e retirados pelos clientes.

2- Anotar o valor cobrado, se pagou adiantado ou parcelado. Quantas roupas tem na sacola, quais cores, tipos, quantas parcelas ainda faltam..

3- Ligar para o cliente depois que passou uma semana ou 15 dias dele ir buscar as roupas que mandou consertar, perguntando se ele ainda vai querer ou se poderão ser doadas ou vendidas.

4- Colocar um cartaz bem á vista e deixar os clientes a par das regras do serviço:
quantos dias depois do concerto a pessoa tem para pegar as roupas,
qual a porcentagem de juros cobrados pelos dias em atraso, depois do serviço pronto

5- Dar um panfleto contendo essas regrinhas básicas acima, com seu telefone e endereço para que o cliente fique atento e possa retornar

     Essas regras acima, valem para todos os tipos de serviços que as pessoas venham à fazer em casa, profissionalmente.  Saber trabalhar é fundamental. Crie o hábito de organizar as coisas para que você não faça como a costureira citada, e ponha seus clientes para correr. Por que dessa pessoa, eu pretendo passar bem longe, daqui pra frente. Fica a dica.

A origem do nome: Juliana Editions

quarta-feira, janeiro 03, 2018


     Todo blog tem um começo e o meu não foi diferente. Lembro que a parte que deveria ser a mais fácil, foi a mais complicada. Escolher um nome para o blog, um nome que na época me identificasse e mostrasse às pessoas qual era o meu objetivo. Como boa geminiana que sou, fiquei em dúvida sobre o nome. Juliana eu tinha certeza, mas e o complemento? Na época, como eu "editava" muitas fotos para o Orkut, pra ajudar na divulgação de animais para adoção, achei que vinha bem à calhar o  "sobrenome": Editions.

     Os anos passaram, eu diversifiquei o blog com assuntos pra lá de variados.. Porém o gosto por manipular fotografias continua o mesmo.  Eu editava mal pra caramba, mas para ajudar os animais eu fingia que estava bom e continuava.. haha

     Hoje eu aprendi umas coisinhas novas e continuo postando alguns dos meus "trabalhos" em minha página do Facebook:  Juliana Editions.

Marcas de celulares em questão

segunda-feira, dezembro 18, 2017


     Gente.. vocês não tem ideia de quantos reviews eu assisti nesse ultimo ano, pesquisando para comprar um novo celular. E li milhares de opiniões de vários e vários usuários.
Sempre usei Nokia por ser uma ótima marca e pela qualidade indiscutível, mas quando ela foi vendida, já mudei pra Motorola e em seguida pra Lg. Tive vários celulares dessas marcas (ditas melhores). A Motorola sempre com o velho problema do som baixo demais. E a LG com problemas de software. Desisti dessas marcas e resolvi pesquisar algo melhor. Mas sempre fugia de Samsung pelas diversas opiniões de que era uma marca ruim e isso e aquilo. Resolvi pagar pra ver, afinal, nunca tive um celular dessa marca, antes. Então comprei um Samsung J1 mini.

     Pra usuário médio como eu, que usa muito pouco as redes sociais, usa mais o telefone para fazer ligações, mandar sms ou whats e quase não baixa aplicativos, esse celular é ma-ra-vi-lho-so. Ele é rápido, eficiente, durável, a bateria dura o dia todinho e ele cumpre bem o que promete. O som dele é bom, não tenho do que reclamar. Fica a dica para quem procura um bom celular com ótimo desempenho. Para tarefas básicas do dia-a-dia, ele é excelente. Nota 10

  PS:
         Agora se você gosta de ficar baixando vários aplicativos, jogos, passar o dia na internet, melhor procurar um celular mais robusto que tenha o dobro de memória e processador mais potente.

Mistura para bolo de milho - Orquídea

domingo, dezembro 17, 2017


     Eu muito raramente compro misturas para bolo, porque nunca vi uma mistura que preste de verdade. As poucas que comprei, me arrependi até a alma de ter gasto meu dinheiro com isso. Em sua grande maioria, as marcas pecam no ingrediente que deveria ser apenas, o "tempero" do mesmo.

     Alguém me fala, qual é a necessidade de carregar no açúcar? Todo mundo sabe que o grande vilão da saúde é justamente esse ingrediente. E essa mistura acima, não é exceção. Doce, doce, DOCE DEMAIS. Simplesmente, não dá pra comer. Açúcar não acrescenta sabor em nada. Muito pelo contrário. Então, pra quê tanto??? Nota 0

Trabalhador autônomo não merece crédito

domingo, novembro 26, 2017


     Sempre trabalhei autônoma e nunca tinha ido parar no spc porque sempre paguei minhas contas em dia, mesmo sem ter como comprovar renda. Tinha cartões com limite de 2000 mil reais. Hoje, quase quatro anos passados, depois de ter meu nome incluso no spc por ter contraído dívidas de clientes malditos caloteiros e pessoas que compraram produtos em meu nome, tive restrição de crédito.

     Paguei tudo, as contas dos outros e as minhas. Passei quase 3 anos pagando dívidas alheias. Nunca parcelei fatura de cartão de crédito quando eram minhas contas somente, porque não passava do limite. Mas por culpa de outros, meu nome ficou sujo e fui parar no spc serasa. Hoje, mesmo tendo pago cada centavo. Não sou digna de ter um cartão de crédito, porque os mesmos que me concederam crédito antes, quando eu era autonoma e ainda não tinha dívidas de outros para pagar,  acham que eu não tenho dinheiro para pagar uma conta de 2000 reais, é porque meu cadastro continua no spc cerasa. E não é porque eu não tenho como comprovar renda é por conta de caloteiros, que tive meu nome incluso / sujo.

     O erro das empresas consiste em consultar aquele site lixo, spc cerasa, ao invés de lembrar que mesmo sendo autonomo e sem comprovação de nenhuma renda você paga suas faturas em dia e não deve nada a ninguém. Pois é... essa foi a herança deixada por caloteiros junto ao meu nome. Gente que fez contas para eu pagar, sem eu saber. Quando chega a conta, ou você paga ou você paga. Não tem o que fazer. E eu paguei tudo, não devo nenhum centavo. E isso adiantou de quê, mesmo???

     Esse site spc cerasa deveria excluir os cadastros das pessoas que pagaram as dívidas, porque ele só serve para atrasar a vida das pessoas. E deixar somente as daqueles que não pagaram nada. Porque depois as empresas descobrem que o nome da pessoa está incluso nessa porcaria de site e não concedem credito pra nada, achando que a pessoa é caloteira também. Nem todo mundo que teve seu nome incluso é por ser mau pagador. Muitas vezes é culpa de outros e não da pessoa.

Projeto: Livro viajante

quarta-feira, novembro 08, 2017




 



     Ontem 07/11/2017 iniciei o projeto livro viajante de incentivo à leitura. Deixei 4 livros na praça, em frente à uma escola, no centro de Gravataí-RS. Não sei quem os encontrou, mas espero que as pessoas que os encontraram, leiam e apreciem o gesto, fazendo o mesmo para a propagação da literatura. Acredito que esse projeto que iniciei, possa se tornar um hábito entre os diversos leitores desta cidade. Acima os prints dos livros deixados na praça. e abaixo o vídeo do vlog sobre o projeto.

                                                             Projeto Livro Viajante










Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!